Prof. Dr. Osmar Castro

Especialista, Mestre e Doutor em Prótese Dentária USP

Prof.Dr. Osmar Castro é Professor do Curso de Mestrado em Prótese Dentária da São Leopoldo Mandic e autor de dois livros de Prótese Dentária. Formado há 30 anos tem consultório particular em Moema -São Paulo. (11) 55311032

Professor de Odontologia

Professor de Odontologia

Durante 16 anos dei aula na graduação no curso de Odontologia. Pude acompanhar o crescimento do número de Faculdades com o inevitável declínio da quantidade e qualidade das aulas de graduação. Me formei em 1986 e durante 6 anos fui clínico geral atuando nas áreas de endodontia (canal), periodontia (gengiva), ortodontia (aparelhos), prótese dentária e dentística (restaurações). Isso só foi possível pois minha graduação foi forte o bastante para me dar os conhecimentos necessários de cada especialidade para que eu pudesse exercer a clínica geral. Somente após 6 anos de formado que fui fazer minha especialização em Prótese Dentária. Atualmente a fórmula: aumento no número de faculdades, facilidade do aluno ingressar nela, aumento no número de professores não tão qualificados, diminuição na carga horária das aulas teóricas e clínicas, resultam em profissionais recém-formados que ainda não estão preparados para a clínica geral. Posso falar com conhecimento de causa pois sou professor de cursos de pós-graduação em Especialização e no Mestrado, e percebo que alunos recém-formados assim que se formam passam a procurar a especialização para suprir a carência de conhecimentos. Esses alunos invariavelmente não conseguem acompanhar as aulas teóricas pois não tem a vivência clínica para entender as aulas mais avançadas que exigem um curso de pós-graduação. Muitas vezes isso leva os professores a abaixarem o nível do curso dando assim a teoria da graduação. Os setores responsáveis pelo ensino no Brasil não fizeram absolutamente nada para que nosso ensino elevasse o nível, o seu descaso fez que somente o mercado se auto regulasse pois foram tantas faculdades abrindo que muitas fecharam por falta de alunos. Deixar que as próprias faculdades avaliem o aluno é absurdo pois a última coisa que as faculdades querem é reprovar um aluno e perder sua mensalidade pois as transferência de faculdade é a arma do aluno para receber o diploma. Para constatar isso é só ver a porcentagem de reprovação. Hoje praticamente não existe reprovação, seguindo a lei: pagou, passou. Tenho certeza absoluta e rasgo meus diplomas de especialização, mestrado e doutorado, que se o governo exigisse uma prova para os dentistas recém-formados, como acontece na Ordem dos Advogados,  o resultado iria expor de maneira visceral, o despreparo (teórico e clínico) da maioria dos recém formados em Odontologia no Brasil. e consequentemente, sua impossibilidade de colocar a mão na boca de um paciente com o risco de sérias iatrogenias. Na outra ponta, a Odontologia do Brasil é considerada uma das melhores do mundo. Isso se deve, não somente por possuirmos uma maior quantidade de dentistas, mas os profissionais esforçados são estudiosos e criativos. Mas cada profissional tem que se destacar pelo interesse próprio, indo atrás das informações insuficientes da graduação e lutar com toda a sua energia para lutar nesse mercado saturado e competitivo que é a Odontologia no Brasil. Eu, após quase 30 anos de formado e a mais de 20 lecionando, estou quase pendurando a chutaria, mas vocês, jovens formandos, boa sorte! E repetindo a frase do grande professor Silas da Cunha Ribeiro: Corra! Pois atualmente, quem corre ainda está parado! www.odontologiacastro.com.br

professor de odontologia

professor de odontologia

Category: O Blog

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*